Blog da Orca

Chevrolet Camaro: conheça a história desse clássico do automobilismo!

A história do Camaro começa em 1966. A princípio, era um carro que concorreria com o Mustang, um dos modelos mais populares da época.

Nesses primeiros anos, a concorrência entre as montadoras Ford (Mustang) e GM (Camaro) fez história. Isso porque a construção da marca Camaro se deu em função da marca do concorrente. O Camaro — animal — é um predador natural do Mustang. Nada mais sugestivo, não é mesmo?

No post de hoje, falaremos mais sobre a história desse veículo que encantou e ainda encanta várias gerações de apaixonados por carros. Mostraremos como os modelos evoluíram com o passar das décadas. Não deixe de conferir!

Primeira geração

O modelo de estreia do Camaro poderia ser encontrado tanto na versão cupê quanto na conversível. O motor era de 6 cilindros e 4,8 litros, com 140 cavalos de potência. Já em 1967 e nos anos seguintes, outras configurações de motorização mais potentes já poderiam ser encontradas.

Essa primeira geração ficou marcada pela participação em corridas da Fórmula Indy 500 — modalidade muito popular nos Estados Unidos até hoje.

Em 1969, por exemplo, o Camaro laranja com listras pretas e conversível foi o pace car (o safety car das corridas contemporâneas) das 500 milhas de Indianápolis.

Segunda Geração

A geração seguinte do Camaro data dos anos de 1970, época marcada pela crise do petróleo. Como consequência daquele período conturbado, os modelos fabricados perderam potência consideravelmente.

Para se ter uma ideia, o V8 fabricado em 1975 apresentava apenas 200 cavalos de potência, algo impensável para os anos anteriores e para a proposta inicial de um carro de potência brutal.

A produção de um modelo com mais de 200 cavalos aconteceria novamente apenas nos anos de 1980.

Terceira Geração

Nesse período, as novidades ficaram por conta do sistema de injeção eletrônica para as versões V6 e V8. Além disso, os motores fabricados passaram a ser de 6 cilindros.

A essa altura, a versão de maior destaque foi o IROC-Z, com motor V8 e 220 cavalos de potência. Esse Camaro veio, inclusive, desfilar no Salão do Automóvel de São Paulo em 1986.

Quarta Geração

As linhas arredondadas da versão do Camaro Z28 de 1996 indicavam que os anos 80 e suas consagradas formas lineares haviam ficado para trás. Tivemos, então, um Camaro ‘arredondado’, o que conferia ao carro um aspecto de maior velocidade quando em movimento.

Naqueles anos, os motores mais comuns de serem encontrados eram o V6 3,4 (160 cv) e o V8 5,75 do Corvette (275 cv). E, pela primeira vez, a tecnologia ABS foi empregada na fabricação do sistema de freios.

Quinta Geração

A evolução tecnológica contribuiu para que os motores mais potentes voltassem para ficar, de modo que a versão mais fraca de um V6 contaria com, no mínimo, 306 cavalos de potência. O V8 mais fraco, por sua vez, teria um motor com 432 cavalos.

No ano de 2012, por exemplo, a versão ZL1 quebrou todos os recordes de potência com a seguinte configuração: motor V8, 588 cavalos de potência e 76,8 mkgf de torque.

E aí, curtiu conhecer um pouco mais sobre a história do Camaro? Então curta a nossa página no Facebook e continue acompanhando outros conteúdos interessantes como este!