Blog da Orca

Dirigindo um carro automático: 7 erros que você não deve cometer

Segundo a GM do Brasil, os carros automáticos e automatizados pularam de 2% da frota nacional em 2006 para 12% dez anos depois — eles chegaram para conquistar de vez o mercado brasileiro!

Com a maior adesão à transmissão automática, no entanto, aumenta também o número de motoristas que não sabem como utilizar corretamente este recurso — e acabam forçando os mecanismos internos, colocando seu veículo em risco.

Neste post, vamos enumerar 7 erros com carro automático que todo motorista deve evitar. Confira a nossa lista e fique atento para não cometer nenhum deles!

1. Trocar a marcha logo que o motor é ligado

Ao ligar o carro pela primeira vez, é recomendável que o condutor espere alguns segundos antes de utilizar o câmbio. Esse tempo é fundamental para que o lubrificante do sistema de transmissão percorra todos os componentes.

A dica é ligar o carro e fazer os procedimentos como colocar o cinto, ativar o GPS ou ligar o som. Só depois de “enrolar” um pouco é que o motorista deve tirar o carro da posição de estacionamento (P) e colocar na marcha ré (R) ou na marcha de condução (D).

2. Utilizar a alavanca com muita força

Quem troca o câmbio manual por um carro automático pode demorar alguns dias para se acostumar com a novidade. Diante da situação de trocar a marcha, alguns esquecem do novo modelo e utilizam a mesma força aplicada no câmbio manual.

Não é preciso colocar força e nem velocidade na troca de marchas — basta um movimento delicado para frente ou para trás e tudo está resolvido. Este tipo de transmissão é mais sensível, e as peças podem sofrer desgastes com os trancos.

3. Trocar de marchas sem necessidade

É preciso abandonar os hábitos do câmbio mecânico. Alguns motoristas trocam frequentemente para a posição Neutra (N) ou para a marcha de estacionamento ao parar em semáforos ou cruzamentos.

Apesar de parecer algo natural, essa troca é desnecessária — e gera mais queima de combustível e alterações na temperatura interna do câmbio. Para evitar que o carro vá para a frente é aconselhável utilizar o freio, e não o câmbio.

4. Pisar fundo no acelerador

Quando o motorista pisa fundo no acelerador, o sistema de transmissão interpreta como uma necessidade de aumentar o giro para depois trocar a marcha. Isso resulta em algumas reduzidas desnecessárias — que só aumentam o giro do motor, a temperatura e o consumo de combustível. No carro automático, a aceleração deve ser gradual.

5. Usar a marcha neutra como “banguela”

Esse procedimento não é recomendável nem mesmo para câmbios manuais, muito menos para os automáticos. Andar com o carro na posição neutra não economiza combustível, e faz o condutor perder parte do controle do carro — além de reduzir a lubrificação no sistema de transmissão.

6. Usar a perna esquerda para realizar frenagem

Mesmo que você seja um piloto automotivo acostumado a usar a perna esquerda para frenar o carro, não é recomendado tomar esta atitude. Os veículos automáticos deixam a perna esquerda ociosa, o que faz com que muita gente passe a utilizá-la no freio.

Além de ser uma mudança de hábito arriscada, nem todo mundo possui a mesma habilidade para usar a outra perna. O resultado são frenagens bruscas e sustos frequentes — e esse é um dos maiores erros com carro automático que acontecem!

7. Ignorar a manutenção preventiva do equipamento

Ter um câmbio automático não significa que o carro não precise de manutenção no sistema de transmissão e na embreagem. Na verdade, esses sistemas são ainda mais delicados, e dependem de acompanhamento regular nas manutenções para evitar prejuízos à mecânica do veículo.

Esses são os erros com carro automático mais comuns de serem cometidos diariamente pelos condutores. Tenha em mente essas dicas para evitar gastos adicionais com o câmbio do seu carro!

Assine a nossa newsletter para receber conteúdos exclusivos sobre manutenção e novidades sobre os modelos da Chevrolet!