Blog da Orca

Saiba por que fazer o rodízio de pneus e balanceamento em seu carro

Uma manutenção correta dos pneus pode nos livrar de muita dor de cabeça e ainda economizar um bom dinheiro com serviços e trocas de peças que seriam desnecessários. No Brasil, onde a grande maioria dos carros possui tração dianteira, é imprescindível que seja feito o rodízio dos pneus e, posteriormente, o balanceamento do conjunto.

No post de hoje, vamos explicar por que é importante fazer o rodízio de pneus e balanceamento em seu carro. Acompanhe!

Por que fazer o rodízio de pneus?

Como a tração fica somente nos pneus da frente (ou traseira, se for o caso), o desgaste entre eles e os de trás ocorre de maneira diferente. Geralmente, os dianteiros costumam ficar mais deteriorados do que os traseiros, pois precisam “puxar” o veículo. Mas tudo depende da situação, pois os traseiros também têm seu desgaste específico, que está mais ligado à função de manter a estabilidade.

Além disso, pode haver uma diferença de gasto entre os lados direito e esquerdo. Quando isso acontece, é necessário também inverter os lados. Portanto, até mesmo os veículos 4×4 precisam fazer a substituição.

Além de prevenir que pneus ainda bons tenham desgaste acentuado — o que facilita furos ou rasgos e pode provocar acidentes, pois causa instabilidade em curvas e frenagens —, o rodízio de pneus também evita que haja necessidade de uma troca antecipada de um pneu com partes desbastadas com consequente perda de aderência.

E a vantagem não para nos pneus: todo o conjunto de suspensão e eixos acaba tendo um desgaste menor. Ou seja, chega de gasto desnecessário por conta do mau uso dos pneus!

Como fazer o rodízio de pneus?

O rodízio deve ser feito, primeiramente, de acordo com o manual do proprietário, pois cada modelo exige um tipo de troca, já que possuem um desgaste específico em cada eixo. Mas é quase unânime entre as montadoras e os fabricantes de pneus a marca de 10.000 km, quando se deve fazer a revisão geral do veículo, para fazer a substituição.

Geralmente, basta passar os pneus traseiros para a dianteira, e vice-versa. Mas fique atento ao desgaste que eles apresentam. Se notar maior gasto em um dos lados, faça o rodízio em X, ou cruzado, que é quando, além da mudança de eixo, há mudança de lados também.

Procure sempre uma oficina especializada, pois com o rodízio, é necessário que se faça ainda o balanceamento do conjunto.

Por que fazer o balanceamento?

Conforme há uso dos pneus, há um desbalanceamento natural, ou seja, com o desgaste e a deformação da borracha, a massa do pneu muda de forma diferenciada, fazendo com que, ao rodar em altas velocidades, haja trepidação. Um desbalanceamento acentuado pode ocorrer em fortes frenagens, em derrapagens ou ao passarmos por buracos e obstáculos na via.

Pneus desbalanceados são perigosos, pois interferem diretamente na estabilidade do veículo e têm sua aderência comprometida, além de causar desconforto na direção. Para corrigir esse problema, faz-se o balanceamento, que é a compensação de massa por meio de contrapesos de chumbo.

Os especialistas já recomendam balancear o conjunto todo de pneus com 10.000 km. Mas é mais importante ainda quando fazemos o rodízio, já que, além de haver a deformação natural, nós iremos modificar a rodagem dos pneus, mudando-o de eixo ou de lado.

Assim, sempre que fizer o rodízio de pneus, é importante que se faça também o balanceamento, para evitar um maior desgaste e outros problemas relacionados à eficiência dos pneus. E não deixe de verificar os outros itens essenciais na manutenção do carro.

Gostou deste artigo? Então nos ajude a deixar o trânsito mais seguro com estas informações! Utilize os botões abaixo para compartilhar este artigo com os amigos nas suas redes sociais. Nos vemos no próximo post!