Blog da Orca

TPM no carro! O que quer dizer o monitoramento da pressão do pneu?

O TPM (Tire Pressure Monitoring ou, em português, Monitoramento da Pressão do Pneu) é um componente de segurança que avisa o motorista quando há uma perda de pressão de ar nos pneus.

Isso porque, como é sabido, o pneu foi elaborado para rodar com uma determinada pressão, a qual é recomendada pelo fabricante. Se ela estiver incorreta, aumenta-se o consumo de gasolina, o carro não adere ao solo corretamente e, por consequência, eleva-se a distância de frenagem, o que pode causar acidentes graves.

Além disso, a baixa pressão pode diminuir a vida útil do pneu em até 30%, na medida em que acelera o desgaste, ocasionando deformação acentuada e aquecimento excessivo.

Assim sendo, para conhecer as duas modalidades de monitoramento da pressão do pneu disponíveis no mercado, o TPM direto e o TPM indireto, continue lendo este post e saiba mais. Boa leitura!

TPM direto

O TPM direto é um tipo de sensor que fica instalado em cada roda para medir a pressão de ar e transmitir as informações a uma central que fornece dados indicados por cada pneu. Em outras palavras, ele avisa quando a pressão real não bate com aquela que foi programada.

Os dispositivos possuem uma pequena bateria que lhes concede autonomia para operar sem utilizar a energia do automóvel. Assim, eles podem medir também a temperatura do pneu, bem como sua posição e o estado da bateria.

Nota: ao mudar os pneus, substituí-los ou fazer algum outro tipo de manutenção, torna-se necessário recalibrar os sensores para evitar falhas de medição.

Vantagens:

  • faz as leituras reais da pressão do pneu;

  • baterias duram cerca de dez anos;

  • pode ser instalado no estepe;

  • ressincroniza-se automaticamente após a rotação dos pneus.

TPM indireto

O TPM indireto depende de sensores de roda do sistema de freio antibloqueio para funcionar. Esses sensores medem o índice de rotação de cada roda e fazem uma comparação entre elas. Tudo isso é mostrado no computador de bordo do veículo.

Com base nessas informações, é possível interpretar o tamanho real dos pneus. Dessa forma, quando as rodas começam a girar mais rápido do que o normal, o sistema descobre e emite um alerta.

Portanto, pode-se compreender que o sensor indireto, na verdade, não mede a pressão; ele simplesmente detecta a rapidez com que os pneus estão rodando.

Vantagens:

  • fácil instalação;

  • é mais barato do que o TPM direto;

  • exige menos manutenção do que o sensor direto.

TPM direto x TPM indireto

Ainda que os dois sistemas sejam diferentes, ambos atendem a mesma finalidade e acionam a mesma luz indicativa no painel do veículo. Apesar de o TPM fazer medições precisas quando instalado e mantido corretamente, não substitui checagens de pressão de ar efetuadas manualmente. Portanto, é importante fazer a revisão periódica do dispositivo escolhido.

Viu só como o sistema de monitoramento da pressão do pneu é uma peça importante para o seu automóvel? Se você o instalar conforme as recomendações do fabricante, certamente obterá bons resultados em sua performance.

Então, gostou deste conteúdo? Aproveite e compartilhe-o com seus amigos nas redes sociais para que eles também saibam o que é o sistema TPM do carro e como ele funciona!