Blog da Orca

Tudo o que você precisa saber sobre as velas de ignição do carro

É comum pensarmos nos cuidados com o nosso carro apenas quando temos algum problema. É só o motor não pegar, por exemplo, que vamos atrás do que pode estar falhando ou faltando. Mas, muito antes disso, vários aspectos para o seu funcionamento devem ser observados.

As velas de ignição do carro são componentes essenciais. Sem elas, o seu motor sequer pega — já que, assim, é impossível haver combustão.

Quer saber mais sobre as velas de ignição de seu carro? Continue com a gente!

Para que servem as velas de ignição do carro?

Localizadas no motor — uma em cada cilindro —, as velas são peças responsáveis por gerar centelhas por meio da diferença de potencial elétrico. São essas faíscas que explodem a mistura de ar e combustível dentro da câmara de combustão do veículo.

Sendo a centelha, o combustível e o comburente (oxigênio do ar) os três componentes necessários à combustão, que é o fundamento básico dos motores automotivos, podemos afirmar que as velas são peças absolutamente essenciais para o seu carro.

Como as velas de ignição funcionam?

Cada vela de ignição tem um ou mais eletrodos laterais, e um eletrodo em sua parte central. O eletrodo central é conectado a uma bobina que, por sua vez, é conectada à central de injeção.

No tempo certo do ciclo de cada cilindro, a central de injeção energiza a bobina, que produz uma alta tensão entre os eletrodos laterais e o central, formando um arco elétrico — a centalha ou faísca — em suas pontas.

O interior da câmara de combustão está repleto de mistura de ar e combustível nesse momento da centelha. Assim, uma explosão controlada ocorre, gerando a força necessária para empurrar para baixo o pistão.

Mas, assim como existem diferentes tipos de motor, as velas variam de acordo com suas características projetadas. Elas podem ter maior ou menor capacidade de gerar centelhas e de isolar a tensão, dissipar e absorver calor, por exemplo. 

Qual tipo de manutenção as velas exigem?

As velas devem ser avaliadas periodicamente, conforme o plano de manutenção do seu carro. Assim, a cada 10 mil quilômetros ou anualmente — ou seja, quando sua vida útil termina —, é o caso de trocá-las sem pensar duas vezes.

Já quando a análise do estado das velas leva a crer que um problema está gerando um desgaste maior, tentar intervir raspando ou reposicionando os eletrodos não é nada recomendável.

Além disso, a própria retirada e reinstalação das velas depende de ferramentas e torque de aperto específicos. Portanto, é importante sempre contar com serviço especializado de manutenção.

O que acontece quando as velas de ignição do carro estragam?

O desgaste das velas compromete diretamente o funcionamento do motor, dando sinais como o aumento do consumo de combustível e a emissão de poluentes.

O motor também passa a funcionar de modo irregular, perdendo potência e rendimento e prejudicando componentes relacionados  como os cabos de vela, as bobinas e o catalisador.

Como proceder para conservar as velas por mais tempo?

O mais importante, sem dúvidas, é sempre abastecer com um combustível de qualidade, enchendo o tanque de seu veículo apenas em postos de sua confiança, com garantia de procedência.

Muitas vezes, aquela gasolina mais barata pode vir a tornar-se um preço muito mais caro algum tempo depois. Assim, fique de olho nessa questão.

Gostou de saber mais sobre as velas de ignição do carro? Leia também tudo a respeito do radiador!