Blog da Orca

Tudo o que você precisa saber sobre o disco de freio do seu carro

Quando o assunto é sistema de freios o primeiro item que vem à cabeça são as pastilhas de freio. Mas há uma outra peça indispensável para esse sistema que por vezes deixamos de lado: o disco de freio.

Item fundamental para sua segurança e boa dirigibilidade, o disco de freio é o assunto do artigo de hoje. Quer saber porque ele é tão importante a ponto de merecer um post só dele? Acompanhe o artigo!

O que é disco de freio e qual a sua função?

Peça importantíssima do sistema de freios, conhecido também como rotor, ele trabalha em conjunto com as pastilhas. Quando o pedal de freio é pressionado, o contato entre pastilha e disco reduz a velocidade do veículo de forma gradual.

Geralmente são feitos de ferro fundido para poder suportar o calor, mas existem fabricantes que utilizam materiais mais baratos, o que pode prejudicar a qualidade e segurança que a peça deveria ter.

Para resfriar, o disco de freio utiliza o ar que o envolve e alguns são compostos por duas partes para melhorar a refrigeração. A junção das partes é feita por ranhuras que facilitam a passagem do ar por dentro do disco. Esses são conhecidos como discos ventilados e os outros como sólidos.

Como funcionam?

Quando o motorista pressiona o pedal de freio, o fluído de freio é comprimido, agindo sobre os pistões das pinças do disco. Os pistões se deslocam no cilindro em direção a pastilha de freio fazendo uma força que aperta a pastilha contra o disco.

Anéis de vedação estancam o cilindro durante a movimentação dos pistões, impedindo que o fluído de freio vaze entre os pistões e o cilindro.  As pastilhas forçam o disco a reduzir a velocidade e esse atrito produz calor.

Durante a frenagem as pastilhas geram um resíduo, uma espécie de pó preto, que se dissipa pelo rasgo da pastilha e suas extremidades. A coifa de borracha e o anel de vedação impedem que os resíduos entrem no cilindro durante o movimento de retorno do pistão.

Como é feita a manutenção do disco de freio?

Por ser uma peça que sofre muito atrito, a vida útil do disco de freio é limitada, mas varia dependendo do modo de uso do sistema de freios em geral. Fatores como a forma de condução dos usuários, tipos de terrenos e manutenção preventiva são alguns exemplos.

Muitos indicam a troca 2×1, ou seja, trocar os discos a cada duas trocas de pastilhas. Porém, o manual do proprietário e as revisões periódicas indicarão mais precisamente o tempo certo em que deve ser realizada a troca, de acordo com as especificações de cada fabricante.

Quando realizar a troca dos discos de freio, a substituição deve ser feita nos dois discos do eixo, ou seja, nos dois discos das rodas dianteiras ao mesmo tempo. O mesmo procedimento deve ser realizado com as rodas traseiras que utilizam freios a disco.

Quando devo fazer a troca das pastilhas de freio?

O ideal é realizar revisões a cada 10.000 quilômetros rodados para garantir sua segurança. Durante a troca de peças algumas pessoas optam, por economia ou falta de conhecimento, por substituir apenas as pastilhas de freio.

Fique atento, pois usar o disco com espessura menor do que o mínimo indicado pode causar sérios problemas como superaquecimento dos freios, empenamento do disco, trincos ou travamento das pinças. Qualquer um desses problemas causará dificuldades de frenagem.

Com um paquímetro pode se verificar a necessidade de trocar os discos. Faça a substituição se a espessura atingir o mínimo indicado e se houverem ondulações ou imperfeições, faixas rebaixadas ou porosas, trincas ou excesso de corrosões.

Com segurança não se brinca. Fique atento às trocas do disco de freio. Aproveite e descubra neste post quando trocar o fluído do freio e dirija tranquilo.